Varejo deve faturar recorde de R$ 3,74 bi na Black Friday de 2020

Informações: Estadão Conteúdo


Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o comércio varejista deve movimentar um recorde de R$ 3,74 bilhões em vendas nas promoções da Black Friday deste ano.


Caso seja confirmado o cálculo, o faturamento será 6% maior que na mesma data de liquidações de 2019, que somou cerca de R$ 3,67 bilhões. Descontada a relação do período, as vendas terão crescimento real de 1,8% em relação ao ano passado.


A quantidade de produtos vendidos pelo comércio eletrônico terá um salto de 61,4%, enquanto as lojas físicas venderão 1,1% a mais. Porém, as vendas on-line devem ficar em torno de R$ 400 milhões, enquanto os R$ 3,34 bilhões restantes serão arrecadados em lojas físicas.


O mesmo levantamento considera que a nova onda de casos de covid-19 no Brasil não fará com que os estabelecimentos comerciais fechem até a Black Friday. Porém, se as medidas de restrição a contaminação do coronavírus forem novamente impostas, a projeção da CNC para uma elevação de 2,2% nas vendas do Natal deste ano em relação ao de 2019 pode ser ameaçada.


O segmento de eletroeletrônicos e utilidades domésticas deve movimentar R$ 1,022 bilhão, seguido pelos ramos de hipermercados e supermercados (R$ 916,9 milhões), móveis e eletrodomésticos (R$ 853,4 milhões), vestuário, calçados e acessórios (R$ 328,7 milhões) e perfumaria e cosméticos (R$ 247 milhões).


A Black Friday foi incorporada ao calendário do varejo nacional em 2010, mas já é a quinta data mais relevante para o setor, atrás do Natal, Dia das Mães, Dia das Crianças e Dia dos Pais.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo