Saiba como evitar fraudes no pagamento por aproximação

Por Agência Conecto


A partir do início de 2019, o meios de pagamento passaram por uma grande transformação com uma série de inovações, dentre elas, a aproximação – tanto com o celular quanto com o próprio cartão físico. Entretanto, somente em 2020, ocorreu o grande salto na utilização desse recurso.



Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Créditos e Serviços, só no primeiro semestre de 2020 houve um crescimento de 330% na utilização da aproximação para pagamento, comprado ao mesmo perigoso de 2019.



Parte desse aumento foi puxado pelo contexto da pandemia do Coronavírus, na qual, o contato com aparelhos de uso comum diminuiu. Apesar da facilidade, o aumento do fuso dessa funcionalidade e da emissão de cartões que permitam o uso desse recursos também abriu oportunidades para os fraudadores.






Um dos golpes mais aplicados é o que se aproveita de um grande fluxo de pessoas em locais públicos e o criminoso rouba o cartão que esteja posicionado de forma visível. Grande parte das transações feitas, após o roubo do cartão, são de valores inferiores a R$ 50,00, pelo fato de que a maioria dos meios de pagamento não pedem um segundo fator de autenticação (como a senha do cartão) para efetivar uma transação como essa.



Por isso, é importante sempre estar atento ao seu cartão. Separamos algumas boas práticas para tornar a utilização dessa função mais segura.


Veja:



1 – Capas de cartão com bloqueio RFID


Já é comum ver anúncios de capas para cartão de crédito/débito que bloqueiam a frequência que permite que o cartão se comunique com a máquina de cobrança, dessa forma, garantindo a segurança de que não haverá transação fraudulenta independente de onde ele esteja guardado. Cobranças só poderão ser efetuadas quando o cartão for removido da capa para uso.


2 – Bolsas e carteiras com bloqueio de RFID


Funcionam com o mesmo princípio das capas para cartão. Ou seja, nenhuma onda de sinal entra em contato com o cartão enquanto ele não for desembolsado pelo dono.






3 – Ativação e desativação no app do emissor do cartão


Uma boa prática é utilizar o recurso de ativar e desativar a função RFID diretamente no aplicativo da emissora do cartão, de acordo com a necessidade de uso.


4 – Atenção na transação


É importante manter o cartão sempre em mãos, visto que a aproximação tem como objetivo um maior controle do seu cartão, não sendo necessário entregá-lo a terceiros para que seja inserido na máquina.


É sempre bom ressaltar que a comodidade de não precisar entregar o cartão a terceiros ou digitar uma senha é superválida, mas, para ter uma boa usabilidade, é importante se atentar para não se tornar mais uma vítima.



22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo